domingo, 30 de Novembro de 2008

Protecção Civil mantém alerta amarelo até às 21:00 de segunda-feira

A Autoridade Nacional de Protecção Civil mantém o alerta amarelo em Portugal continental até às 21:00 de segunda-feira e recomenda à população medidas de auto-protecção face ao tempo frio, chuva e queda de neve esperados.

«Em comunicado enviado este sábado, a Protecção Civil recorda o aumento de acidentes de viação devido ao piso escorregadio e eventual formação de gelo, lençóis de água ou arrastamento de materiais sólidos para as estradas.

Recomenda-se ainda o uso de várias camadas de roupa e ao sair de casa o uso de chapéus ou gorros e de luvas.

«Como o ar frio não é bom para a circulação sanguínea, devem ser evitadas actividades físicas intensas, assim como deve ser poupada energia porque o consumo excessivo de electricidade pode sobrecarregar a rede», lê-se no comunicado.

A Autoridade Nacional de Protecção Civil pede atenção no uso de lareiras, braseiros e aquecedores a gás devido ao risco de acidentes domésticos e recomenda o uso de várias camadas de roupa e, ao sair de casa, o uso de chapéus ou gorros e de luvas.

Por causa do mau tempo, várias estradas estão cortadas e condicionadas nos distritos de Vila Real, Bragança, Braga, Coimbra, Viseu e Guarda, recorda o comunicado.

TSF

Aumenta o número de estradas encerradas devido à neve

Vila Real, Braga, Coimbra, Guarda, Viana do Castelo são os distritos mais afectados pelo mau tempo, sendo que o número de estradas cortadas tem vindo a aumentar ao longo deste sábado. A neve leva mais de um metro de altura nalgumas zonas do país.

Em declarações à TSF, pelas 21:00, o coronel José Codeço, da Protecção Civil, disse que, no distrito de Vila Real, «a A7 está cortada no troço entre Fafe e Vila Pouca de Aguiar», bem como «o IP4 no troço Vila Real – Amarante».

No distrito de Braga, estão cortadas ao trânsito «a A7, no troço Vila Pouca de Aguiar - Cabeceiras de Basto», enquanto na região de Viseu, a A24, entre Castro Daire e Lamego, também está problemas, acrescentou.

Na região da Guarda, «todos os acessos ao maciço central da Serra da Estrela estão cortados», adiantou, acrescentando que na zona de Viana do Castelo, há cortes na EN 203-3.

Com estes cortes, algumas aldeias estão isoladas, sendo que, por exemplo, no concelho de Boticas, na zona da Serra das Alturas, a Protecção Civil teve de remover um autocarro com 35 passageiros que ficou retido na estrada.

O presidente da autarquia, Fernando Campos, disse à agência Lusa que caiu um «nevão em Boticas como há muito não se via» e que, em alguns locais da Serra das Alturas, a «neve chega a atingir um metro de altura».

Entretanto, a Protecção Civil renovou o alerta amarelo para mau tempo em todo o Continente, prevendo frio, chuva e queda de neve para este sábado.

TSF

sexta-feira, 28 de Novembro de 2008

Oito a dez viaturas envolvidas num choque em cadeia em Lousada

Oito a dez viaturas estiveram envolvidas, ao princípio da noite de hoje, num choque em cadeia na variante da Estrada Nacional 106, em Lodares, Lousada, disse fonte do Comando Operacional de Operações de Socorro do Porto.

O acidente, registado às 18:30, provocou dois feridos graves, um deles levado de helicóptero para o Hospital de Penafiel, e um número ainda indeterminado de feridos ligeiros.

O troço de estrada, perto do Nó de Nespereira, esteve fechado ao trânsito durante cerca de hora e meia.

Segundo informações recolhidas no local, tudo começou com o despiste de um automóvel, que obrigou à paragem de um número indeterminado de veículos que seguiam atrás.

Na cauda da fila, um camião não conseguiu parar a tempo, provocando a colisão em cadeia.

No momento e no local do acidente, chovia intensamente.

Um outro acidente de viação, registado ao princípio da tarde no Nó de Coimbrões das auto-estradas A-44 e A-1, Gaia, obrigou ao corte temporário do trânsito proveniente de Espinho em direcção à Ponte da Arrábida, disse fonte da Companhia de Sapadores Bombeiros (CSB).

De acordo com a fonte, tratou-se do despiste de uma viatura ligeira mista, que embateu nos "rails" de protecção da via, provocando dois feridos, um dos quais teve que ser retirado com auxílio de um dispositivo de desencarceramento.

Lusa

quinta-feira, 27 de Novembro de 2008

Bombeiros foram contemplados com menos verba para equipamentos

As Associações Humanitárias dos Bombeiros Voluntários de Oliveira do Hospital e Lagares da Beira foram ontem contempladas com uma verba inferior à atribuída no ano passado, para a conclusão do processo de apetrechamento de equipamento individual.

Tal como aconteceu com as restantes corporações do distrito de Coimbra, o Governo Civil ficou-se pela atribuição de 1600 Euros a cada corporação, num total de 33 mil Euros, sendo que em 2007, o montante cifrou-se em 167.519 euros.

Tripartida pelas corporações, segurança rodoviária e segurança interna, a verba atribuída pelo Ministério da Administração Interna ao Governo Civil de Coimbra foi ainda canalizada para a atribuição de novas viaturas aos bombeiros de Arganil, Brasfemes, Góis, Mira e Pampilhosa da Serra, sem qualquer custo para as corporações.

Corporação de Lagares da Beira sai “prejudicada”

Destinada a completar o processo iniciado no ano passado, a verba canalizada ontem para as Associações Humanitárias foi, no entender do presidente da direcção dos Bombeiros Voluntários de Lagares da Beira – representado no encontro no Governo Civil pelo seu vice-presidente – manifestamente insuficiente. “Prejudica bastante a corporação”, referiu José Álvaro Figueiredo ao correiodabeiraserra.com, antevendo gastos excessivos por parte da corporação que dirige para a compra dos equipamentos em falta.

Presente na cerimónia de ontem, o presidente da direcção da corporação de Oliveira do Hospital confessou a este diário digital que gostaria de ver mais dinheiro na verba atribuída, mas disse compreender a situação até porque foi bem explicada pelo Governador Civil, Henrique Fernandes. “Não tínhamos hipóteses de reivindicar mais dinheiro”, referiu Arménio Tavares, destacando o facto de o Governo Civil ter atribuído viaturas a algumas corporações. A este diário digital, o responsável disse ainda que a corporação da cidade não se sente prejudicada, sublinhando que “algumas corporações já têm o processo de apetrechamento de equipamento mais avançado. “Não temos ainda tudo, vamos comprando e a verba agora atribuída vai-nos ajudar a preencher essa lacuna”, considerou, contando que na reunião de ontem não viu “qualquer animosidade pelo facto de a verba atribuída ser pequena”.

Sobre a intenção manifestada por Henrique Fernandes de para o ano as corporações fazerem uso da verba a atribuir em 2009 para a realização de acções de sensibilização rodoviária, ambos os responsáveis pelos bombeiros do concelho se manifestaram receptivos à ideia, embora na opinião de José Álvaro Figueiredo a iniciativa deva ser encabeçada pelo Ministério da Administração Interna e não pelos corpos de bombeiros.

Correio da Beira Serra

quarta-feira, 26 de Novembro de 2008

Mais de 50 bombeiros combatem incêndio florestal há três horas

Mais de cinquenta bombeiros de Trancoso, de outros regimentos próximos e duas equipas dos Bombeiros da Guarda combatem há três horas um incêndio florestal que deflagrou hoje em Venda do Cepo, Distrito da Guarda.

Segundo a Autoridade Nacional de Protecção Civil o incêndio começou às 17:40 e o Centro de Operações de Socorro (CDOS) da Guarda ainda não consegue prever "quando é que as chamas vão estar controladas".

Em declarações à Agência Lusa, fonte do CDOS da Guarda disse que os bombeiros procuram "mobilizar mais elementos de outros regimentos próximos" na tentativa de acelerar o combate ao fogo.

Os bombeiros do Trancoso ainda não conseguem prever a área ardida até ao momento, contudo, fonte da corporação afirmou que "não existem habitações em perigo".

Lusa

Governo Civil assina protocolo com bombeiros para aquisição de equipamentos de protecção individual

As Associações Humanitárias dos Bombeiros Voluntários do distrito de Coimbra – onde se incluem as de Oliveira do Hospital e Lagares da Beira – reúnem-se ao final da tarde de hoje no Governo Civil de Coimbra para a contratualização da transferência de verbas, destinadas a concluir o apetrechamento dos corpos de bombeiros com equipamentos de protecção individual.

De acordo com nota de imprensa enviada ao correiodabeiraserra.com, a contratualização será formalizada através de protocolo a celebrar entre o Governo Civil de Coimbra e cada uma das Associações Humanitárias de Bombeiros Voluntários.

O acto terá lugar pelas 18h00, no Salão Nobre do Governo Civil.

Correio da Beira Serra

Quatro distritos com aviso amarelo devido ao frio

Os distritos de Lisboa, Guarda, Aveiro e Braga estão hoje com aviso Amarelo devido ao frio, segundo o Instituto de Meteorologia.

Para a Guarda esperam-se temperaturas baixas entre os três graus negativos e quatro graus, em Aveiro entre os três e os 14, em Braga entre os zero e os 13 graus e em Lisboa entre os seis e os 13 graus.

O arquipélago da Madeira está também com aviso amarelo, mas devido ao vento forte com rajadas que poderão chegar aos 90 quilómetros por hora.

O aviso amarelo é o segundo de uma escala que vai até quatro.

Para hoje espera-se céu limpo, temporariamente com períodos de muito nublado no interior Norte e Centro onde poderão ocorrer aguaceiros fracos até ao fim da manhã, que serão de neve acima dos 600 metros.

O vento soprará fraco a moderado de nordeste, por vezes forte no litoral a sul do Cabo de Sines e nas terras altas.

Prevê-se ainda uma descida da temperatura mínima, em especial nas regiões Norte e Centro e formação de geada.

Lusa

terça-feira, 25 de Novembro de 2008

Oito distritos com aviso Amarelo devido a previsão de vento e ondulação fortes

Oito distritos do continente estão hoje sob aviso Amarelo, bem como todo o litoral, devido à previsão de ventos e ondulação marítima fortes, segundo o Instituto de Meteorologia.

Os ventos fortes colocam sob aviso Amarelo, o segundo numa escala de quatro, os distritos de Bragança, Vila Real, Viseu e Portalegre.

A ondulação marítima, que poderá atingir os 4,5 metros, e a previsão de ventos com rajadas que podem chegar aos 55 km/h no litoral e aos 75 km/h nas terras altas, justificam o aviso Amarelo nos distritos de Leiria, Aveiro, Braga e Viana do Castelo.

O Instituto de Meteorologia prevê para hoje períodos de céu muito nublado, tornando-se pouco nublado a partir do final da tarde, com aguaceiros fracos e pouco frequentes mais prováveis nas regiões do Interior e que serão de neve acima dos 1000 metros.

Está ainda prevista descida de temperatura, especialmente nas mínimas e nas regiões do interior.

Lusa

segunda-feira, 24 de Novembro de 2008

Três mortos e um ferido grave em colisão em Vermoim

Uma colisão entre dois automóveis na EN-224, que liga Oliveira de Azeméis a Vale de Cambra, provocou três mortos e um ferido grave, disse à agência Lusa fonte dos Bombeiros de Oliveira de Azeméis.

O acidente ocorreu ao princípio da noite, em Vermoim, Ossela, tendo o alerta sido dado pelas 19:49. O despiste de uma das viaturas poderá estar na origem da colisão, de acordo com a mesma fonte.

Na assistência aos sinistrados estiveram envolvidos os bombeiros de Oliveira de Azeméis e de Vale de Cambra, bem como uma viatura de emergência médica.

Este foi o segundo acidente com vítimas mortais no Concelho, depois de uma pessoa ter morrido e outras terem ficado gravemente feridas no despiste e capotamento de uma carrinha que transportava idosos de um centro de dia, em Loureiro.

Lusa

sábado, 22 de Novembro de 2008

Combate a incêndio simulado dificultado por ruas estreitas no centro Almada

Os meios activados pela protecção civil para combater um incêndio simulado, este sábado à tarde, na Casa Municipal da Cerca, em Almada, viram a sua actuação dificultada pelas ruas estreitas na zona envolvente, disse o coordenador da Protecção Civil da cidade.

De acordo com Jorge Graça, a existência de ruas estreitas no centro histórico da cidade, nomeadamente no espaço envolvente à Casa Municipal da Cerca levou a que as várias viaturas enviadas para o local para combater o suposto incêndio tivessem de permanecer afastadas do edifício, dificultando o combate.

Outra das dificuldades encontradas prendeu-se com a dimensão do portão que dá acesso ao pátio da Casa da Cerca, que impediu o acesso das viaturas dos bombeiros.

O «incêndio» na Casa da Cerca teve início por volta das 15:20, numa altura em que se encontrava em pleno funcionamento, com visitantes reais e fictícios dentro das suas instalações, que foram evacuados pela protecção civil.

Para os habitantes, atraídos para os quatro cenários montados devido ao aparato das sirenes dos carros dos bombeiros, PSP e Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), a situação era já esperada, tendo referido lidarem no dia-a-dia com as dificuldades de acesso dos meios de socorro.

TSF

Simulacro de sismo foi positivo, mas «é preciso melhorar» plano

Os bombeiros fazem um balanço positivo do simulacro de um sismo realizado este sábado, onde a Protecção Civil testou, pela primeira vez, o Sistema integrado sas redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP) nos distritos de Lisboa, Setúbal e Santarém. Ainda assim, sublinham que «é preciso melhorar» o plano em estudo.

A Protecção Civil testou, pela primeira vez o Sistema integrado das redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP) nos distritos de Lisboa, Setúbal e Santarém.

Em declarações à TSF, Joaquim Chambel, comandante dos Bombeiros de Santarém, fez um balanço das operações.

«Tivemos, durante o dia de hoje, situações de derrocadas de casas, pessoas soterradas, apoio social à população lesada, incêndios urbanos», revelou.

Segundo o responsável, «as operações terminaram com um conjunto de lições a tirar, nomeadamente no sentido de melhorar o plano em estudo.

TSF

Sismo/simulacro: INEM esgota capacidades em 21 horas

O INEM esgotou as suas capacidades em 21 horas de sismo fictício e com cerca de 100 mortos, tendo sido necessário recorrer às Forças Armadas e ao apoio europeu, situação que em cenário real só aconteceria com mais vítimas.

O "abalo" ocorreu sexta-feira às 15:50 e, até ao momento, já provocou 106 mortos, mais de 300 feridos, 30 desaparecidos e 488 desalojados nos distritos de Lisboa, Santarém e Setúbal.

Em conferência de imprensa, o comandante operacional nacional da Autoridade Nacional de Protecção Civil, Gil Martins, disse que o INEM esgotou todos os meios no terreno e as autoridades de saúde tiveram que solicitar apoio às Forças Armadas para o transporte de doentes e meios hospitalares, como equipas médicas e camas.

A ajuda europeia também está a ser testada, sendo necessário transferir 40 doentes queimados. Para Espanha vão ser transportados 20 e os restantes para a França.

Gil Martins explicou que num cenário real o INEM "só esgotaria as suas capacidades com um número mais elevado de vítimas", uma vez que os meios no simulacro são mais reduzidos e o Instituto Nacional de Emergência Médica continua a fazer o seu trabalho diário.

O responsável sublinhou também que em cenários reais as capacidades de um país esgotam-se e é necessário reforçar a capacidade de resposta através da cooperação internacional, o que tem vindo a acontecer nos últimos anos.

Dificuldades no sistema de comunicação foram o principal problema, tendo sido necessário "agilizar alguns procedimentos de informação a nível distrital, nacional e municipal", afirmou, adiantando que hoje a gestão de informação "está a correr bem melhor".

Frisou que o exercício serve para "treinar e apreender" e que as falhas fazem parte da aprendizagem, acrescentando que é com estas lições que se vai corrigir o Plano Especial de Emergência de Risco Sísmico para a Área Metropolitana de Lisboa, que está a ser testado no simulacro antes de ser aprovado pelo Governo.

Gil Martins salientou igualmente que o exercício, denominado "Prociv IV/2008", tem como finalidades "testar fortemente o sistema de comando e controlo" e "a articulação permanente entre as várias entidades" no terreno, que tem decorrido "sem problemas".

Ao longo do dia de hoje, realizaram-se cenários em Lisboa, no Centro Comercial Colombo e na zona oriental ribeirinha, em Vila Franca de Xira, Seixal, Póvoa de Santa Iria e Benavente. Ao longo da tarde decorrem exercícios em Alfama, Lisboa, no centro histórico de Almada e Porto Alto .

Também hoje à tarde uma equipa constituída por técnicos do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC), do Instituto de Meteorologia e Protecção Civil vão de helicóptero fazer uma avaliação estrutural em Benavente.

Com dois dias de exercício, houve já alguns imprevistos, como um figurante no Seixal e um bombeiro em Porto Brandão que ficaram ligeiramente feridos, o helicóptero Kamov fez sexta-feira o salvamento das vítimas num local que não estava previsto e o treino no Centro Comercial Colombo começou atrasado.

Baseado no sismo histórico de 1909 em Benavente, o "terramoto" tem uma magnitude de 6.6/6.7.

Segundo a Autoridade Nacional de Protecção Civil, foram criados 16 cenários e todas as ocorrências que se verificarem no âmbito do exercício "são fictícias".

Edifícios em colapso e soterrados, deslizamento de terras, vias de acesso bloqueadas e incêndios urbanos e florestais são algumas das consequências do sismo fictício que termina domingo.

Lusa

Catástrofes: Força Aérea faz exercício em Lisboa

Força Aérea testa capacidade de apoio às populações no PROCIV IV/2008.

Foi batido o recorde de montagem do Kit de Mobilidade da Força Aérea. Surgiu uma "cidade de tendas" para alojar os participantes do exercício, em Benavente, em quatro horas e meia.

No âmbito das missões de interesse público, referente à "Segurança Humana", designadamente no apoio às populações em situações de catástrofe, a Força Aérea irá participar no PROCIV IV/2008, exercício da Protecção Civil que decorre entre esta sexta-feira e domingo.

Em comunicado enviado à TVNET, o gabinete de relações públicas escreve que neste Exercício, em que será testada a capacidade de resposta a um sismo de nível 6.8 na zona da grande Lisboa, a Força Aérea Portuguesa testará também as suas próprias capacidades.

Um dos objectivos era conseguir bater um recorde na montagem do Kit de Mobilidade, ao executar em menos de cinco horas e em período nocturno, aquilo que, normalmente, demora cerca de dois dias a alcançar e que é o transporte e montagem de uma pequena cidade em tendas.

O obejctivo foi cumprido ontem, em Benavente, tendo os militares montado uma cidade de tendas para alojar as equipas de resgate participantes no Exercício entre as 18H30 e as 23H00. Este foi um dos casos NO PLAY do Exercício, tendo os participantes efectivamente pernoitado no acampamento com todas as condições consideradas necessárias para o efeito.

O Kit de Mobilidade da Força Aérea tem, na sua capacidade máxima, aptidão para providenciar autonomamente energia, alojamento (climatizado), alimentação e apoio higienico-sanitário até 400 pessoas. Contudo, devido à complexidade e diversidade de meios necessários para instalar e sustentar um acampamento deste tipo, para o exercício em questão só foi solicitado à Força Aérea condições de habitabilidade para cerca de 80 pessoas.

Parte dos equipamentos do Kit de Mobilidade utilizados no PROCIV IV/2008, foram recentemente adquiridos pela Força Aérea, tendo sido utilizados na missão do Chade, no final da Primavera de 2008. Actualmente, está também em uso na missão do Afeganistão equipamento semelhante.

Para além do referido Kit, a Força Aérea irá disponibilizar para este Exercício cerca de 200 militares, três dezenas de viaturas de várias categorias e funções, as instalações da Base Aérea de Sintra para acolher o posto de comando alternativo da Protecção Civil, a Base da Ota para receber os "refugiados" da zona de Alenquer, instalações no Depósito de Matewrial da Força Aérea em Alverca e um helicóptero Alouette III à disposição da liderança do Exercício.

TVNET

População participa em simulação de sismo em Benavente

Este sábado está a decorrer em Benavente a simulação de um sismo. Este exercício é o maior que alguma vez realizado em Portugal e o que contou com a colaboração do maior número de pessoas, 99 anos depois de um verdadeiro sismo ter atingido a região.

População, escuteiros e bombeiros disponibilizaram-se para serem figurantes no exercício de simulação de um sismo.

Foram registadas mais de 10 ocorrências, mas parte da população continua a revelar que não sabe o que fazer em caso de sismo.

Em Lisboa, Setúbal e Santarém vão estar 68 entidades envolvidas para fechar o plano de emergência de risco sísmico na área metropolitana de Lisboa e concelhos limítrofes.

Os resultados deste simulacro vão ser entregue na Assembleia da República no início de 2009.

TSF

quinta-feira, 20 de Novembro de 2008

A partir de amanhã - Lisboa simula catástrofe durante três dias

Um descarrilamento no metro de Telheiras, falhas nas comunicações móveis, evacuação de diversos edifícios e do Centro Colombo, incêndios e quedas de viaturas no Tejo são algumas das situações resultantes de uma simulação de sismo que dura até domingo.


A Protecção Civil vai testar durante três dias a resposta das autoridades a um possível terramoto em Lisboa. Para este exercício, serão evacuados diversos edifícios – como o Centro Comercial Colombo -, assim como o Metro de Telheiras e outras empresas e universidades.

A Protecção Civil fala das principais vias intrasitáveis em caso de terramoto, como o Túnel do Marquês ou a Rua do Ouro, mas a realidade é bem diferente. Para este exerício, haverá apenas condicionamentos na zona do Campo Pequeno e Rua Maria Pia na sexta-feira e no sábado o trânsito será afectado na zona do Campo das Cebolas. Somente as ruas da Alfândega e do Cais de Santarém estarão cortadas.

Na sexta-feira, pelas 17h30 dá-se o ‘sismo’. Passados cinco minutos, as autoridades terão de lidar com falhas nas comunicações móveis e terrestres. Às 17h45 serão evacuados vários edifícios, tais como o Hotel Sheraton e a Faculdade de Ciências.

Já perto das 18h00 serão repostas as comunicações de emergência. Por esta altura, vai dar-se um acidente com derrame de matérias perigosas na Praça de Touros do Campo Pequeno, do qual resultarão quatro mortos e 50 feridos.

Às 18h45 será simulado um incêndio na Faculdade de Agronomia e às 19h00 um aluimento de terras na encosta adjacente do Cemitério dos Prazeres.

No sábado, o exercício arranca com a evacuação do Colombo pelas 9h05. Há ainda o colapso de vários edifícios da zona oriental ribeirinha e a queda de uma viatura ao Rio Tejo, no Cais das Colunas.

A simulação continua à tarde com um incêndio num posto de combustível em Alfama, na Rua da Alfândega. Pelas 15h30 ‘vai cair’ um viaduto em Alcântara-Mar. O exercício termina com o risco de derrocada de uma ala de hospital na Faculdade de Ciências.

No domingo, o dia começa com uma fuga de gás com incêndio na Torre da Galp, no Parque das Nações, e com a ruptura de uma conduta de água e consequente inundação no Campo de Santa Clara.

Pelas 10h00, o metro de Telheiras será evacuado devido ao descarrilamento de uma composição entre as estações de Telheiras e Campo Grande.

Este exercício será também realizado em Santarém e Setúbal.

SOL

quarta-feira, 19 de Novembro de 2008

Incêndio em prédio devoluto no Bairro da Liberdade - encontrado um corpo carbonizado

Um incêndio deflagrou hoje num edifício devoluto no Bairro da Liberdade, em Lisboa, onde os bombeiros encontraram um corpo carbonizado, "presumivelmente de um homem", com o fogo a ser extinto por volta das 19:00.

Em declarações à Agência Lusa, fonte dos Bombeiros Sapadores de Lisboa explicou que o incêndio afectou um rés-do-chão na Rua Inácio Bardelhas Sanches e não afectou mais edifícios.

O fogo foi combatido por 20 bombeiros, apoiados por seis viaturas, e ficou extinto às 18:58.

Lusa

segunda-feira, 17 de Novembro de 2008

Dois mortos na colisão de camião-cisterna colide com veículo na A1

Dois mortos e um ferido grave é o balanço da colisão registada hoje de manhã entre um camião cisterna e um veículo de reboque na autoestrada Lisboa-Porto, sentido Vila Franca-Lisboa, disse à Lusa fonte do INEM.

A colisão, que obrigou ao corte da circulação na autoestrada, por haver risco de explosão, ocorreu às 09:28 perto da saída para o IC2, no sentido Norte-Sul.

O reboque capotou com o embate e incendiou-se por completo.

No local encontram-se várias viaturas do INEM, bem como 17 veículos e 51 homens dos bombeiros de Alverca, Póvoa de Santa Iria, Alhandra, Sacavém e Camarate, de acordo com fonte do Comando Distrital de Lisboa (CDOS).

A circulação na auto-estrada continua cortada nos dois sentidos.

O combustível largado pelo camião cisterna tem estado a sair pela rede esgotos, provocando vários pequenos incêndios na zona.

Lusa

quarta-feira, 5 de Novembro de 2008

Colisão entre pesado e ligeiro matou técnico do INEM

Um morto e um ferido em estado considerado grave é o balanço de um acidente de viação, ocorrido ontem, no IC2, entre Condeixa e Pombal, ao quilómetro 164, na zona de Venda Nova, no concelho de Soure. A vítima mortal é um técnico de ambulância de emergência do INEM.

O acidente, que ocorreu às 15h05, envolveu um veículo ligeiro de mercadorias, que circulava no sentido Norte – Sul, e um pesado de mercadorias, que também seguia no mesmo sentido. Por razões que se desconhecem, mas às quais não será alheio o mau tempo que se fazia sentir na altura e o piso escorregadio, eventualmente na sequência de alguma travagem, o pesado fez “efeito de tesoura”, ou seja, a cabine deslocou-se, enquanto a galera se manteve direita. Um “manobra” que “apanhou” a viatura ligeira.

O condutor do ligeiro, um indivíduo do sexo masculino, de 38 anos, técnico de ambulância de emergência do INEM (Instituto Nacional de Emergência Médica), que se presume ser da zona de Pombal, ficou encarcerado e sofreu morte praticamente imediata, uma vez que quando os bombeiros chegaram já não apresentava sinais vitais. O óbito foi confirmado no local do acidente pelas autoridades e o corpo foi transportado para o Instituto de Medicina Legal da Figueira da Foz, onde deverá ser autopsiado.

Fonte do INEM confirmou ontem ao Diário de Coimbra a morte do seu técnico. «Perdemos um profissional que nos será para sempre muito querido», disse, adiantando que hoje seriam disponibilizadas mais informações sobre a vítima.

Por seu turno o condutor do pesado de mercadorias, um indivíduo na casa dos 60 anos, residente na zona de Ansião, ficou politraumatizado, sendo o seu estado considerado grave. Depois de ter sido assistido no local, foi transportado, numa ambulância dos Bombeiros Voluntários de Soure, para o Centro Hospitalar de Coimbra (Hospital dos Covões).

Os Bombeiros Voluntários de Soure deslocaram para o local do acidente duas ambulâncias, uma viatura de desencarceramento e dois veículos de comando e um total de 12 homens. A Brigada de Trânsito tomou conta da ocorrência.

Diário de Coimbra

terça-feira, 4 de Novembro de 2008

Acidentes fazem uma morte a cada 11 horas e 45 minutos

Nos primeiros dez meses deste ano, os acidentes de viação nas estradas portuguesas provocaram uma vítima mortal a cada 11 horas e 45 minutos, num total de 622 óbitos, indicam dados da Autoridade Nacional da Segurança Rodoviária.

Entre Janeiro e Outubro, a GNR e a PSP contabilizaram 622 vítimas mortais, 2.114 feridos graves e 33.332 feridos leves. Estes valores traduzem quebras de 10,6%, 19,3% e 7% face a igual período em 2007.

O número de óbitos diminuiu em 12 distritos, manteve-se num e aumentou em cinco.

As maiores quebras relativas verificaram-se nos distritos de Faro (-44,8%), Setúbal (32,5%), Leiria (29,5%) e Santarém (25%). Beja (107%), Évora (71,4%), Coimbra (41,4%) e Aveiro (22,9%) apresentaram as maiores subidas no número de mortes.

No que respeita aos feridos graves, registrou-se uma quebra em todos os 18 distritos de Portugal Continental, com excepção de Bragança e Coimbra.

Diário Digital

Incêndio destrói armazém em Guimarães

Um violento incêndio destruiu um armazém de peças para automóveis em Creixomil, Guimarães, esta madrugada. ~

"Arderam, pelo menos, cinco veículos que estavam no interior da oficina e o armazém de peças ficou destruído", referiu fonte dos bombeiros locais à Agência Lusa.

O alerta foi dado às 02:00 da madrugada e os bombeiros deram o incêndio por extinto já perto das 10:00 da manhã.

No local, estiveram 28 homens e oito viaturas dos Bombeiros Voluntários de Guimarães.

As causas do incêndio e o valor dos prejuízos estão ainda por apurar.

Jornal de Notícias